NOTÍCIAS‎ > ‎

Nem criança, nem adolescente: elementos de uma delicada transição (Conversação)

postado em 31 de out de 2016 09:39 por Andre Martins   [ 5 de nov de 2016 05:17 atualizado‎(s)‎ ]

Nesta conversação procuraremos abordar os elementos constitutivos da delicada passagem entre a infância e a adolescência.

Período de suspensão, onde o sujeito não se reconhece mais integralmente como criança, tampouco se caracteriza propriamente no campo da adolescência. 

No entanto, neste lapso temporal e subjetivo estão presentes tanto formações discursivas, tipicamente infantis, quanto antecipações de aspectos da adolescência.

A adolescência, sob muitos aspectos, pode antecipar-se às transformações corporais relativas à entrada na puberdade. 

Assim, além de certamente a adolescência ser um sintoma que surge como resposta às transformações corporais advindas com a puberdade, é também uma formação discursiva que organiza a relação com o Outro e as relações com um mundo (suposto) adulto. 

Portanto, se de um lado temos uma antecipação da adolescência para um tempo em que outrora vigia a infância; por outro, temos uma infinitização da adolescência –posto que no mundo ocidental contemporâneo – não podemos demarcar claramente seu fim. 

Deste modo, o fenômeno adolescente perde seus limites temporais, pois não se sabe mais quando se inicia tampouco quando termina.

Perguntamos: que desafios esta situação traz para o campo educativo? Que possibilidades de manejo? O que pode o professor?