ENTREVISTA

Coordenador do NTE é certificado pela Google

Por André Luís Batista Martins e Martha Fontoura Queiroz Cantuário




 Cleber Ferreira de Oliveira é professor de Matemática na Rede Pública Municipal de Uberlândia coordenador do Núcleo de Tecnologia e Educação (NTE) do Centro Municipal de Estudos e Projetos Educacionais Julieta Diniz (Cemepe). Ele foi um dos 50 selecionado pela Google em um universo de 5.000 inscritos para participar do primeiro Google Teacher Academy. Trata-se de um programa gratuito visando ensinar diferentes formas de utilizar as ferramentas da própria companhia a professores de Educação Básica engajados com tecnologia.

    A escolha dos inscritos foi realizada, segundo a empresa, com base na experiência profissional e no desempenho de projetos já desenvolvidos utilizando tecnologias diferentes. O treinamento intensivo teve lugar em São Paulo, no escritório da empresa na Av. Brigadeiro Faria Lima, 3477, 18º andar, nos dias 09 e 10 do mês de outubro. De acordo com a empresa, quem concluir o curso se tornará um Google Certified Teacher. A certificação dá acesso a uma comunidade de docentes também “diplomados”. Não apenas no Brasil, O Teacher Academy já foi realizado em outros países como Austrália, Índia, México e Rússia e diversas nações europeias, de acordo com um comunicado oficial da empresa.

     No dia 15 de outubro, na sala do NTE, o coordenador do núcleo concedeu-nos esta entrevista na qual fala sobre a experiência impar que teve.


Cempe Informa:  Qual o objetivo da Google com um evento como este?  

Cleber: O objetivo deles é capacitar ou qualificar  professores em relação às ferramentas que a Google oferece para a educação. Para isso, dentro da Google tem um departamento chamado Google for Education. O departamento organizou o evento e é  responsável pelas  ações da Google voltadas para a educação no mundo todo.

Cemepe Informa: Como foi o processo de seleção adotado pela Google para selecionar os participantes.  Conte-nos,  como foi a sua decisão em concorrer a uma vaga para participar do evento. Como se sentiu ao receber a confimação de que tinha sido selecionado?

Cleber:  Eu fiquei sabendo por uma colega. A princípio eu estava muito ocupado, mas tirei um tempo para ajudá-la a fazer um vídeo que fazia parte dos requisitos  para concorrer a uma vaga para o evento.Os interessados deveriam montar um vídeo de até um minuto mostrando as ferramentas digitais que utiliza no  dia a dia, no seu trabalho como professor. Além disso, era necessário responder a um questionário e enviar um currículo. Tudo você teria que colocar em uma pasta no Google Drive e compartilhá-la com os organizadores do evento. Montei, também, o meu vídeo e consegui enviá-lo. Foram 5.000 inscritos e 45 projetos selecionados. Eu acho que um dos critérios era quantas pessoas você pode influenciar a utilizar as ferramentas da Google para a educação.


Inicialmente, recebi com muita surpresa o fato de terr sido selecionado, mas também foi como uma realização. Como utilizo as ferramentas do Google a muito tempo e sempre fiz propagandas destas ferramentas, que são excelentes e gratuitas. Sem contar foi a realização de um sonho,  porque sempre sonhei em conhecer a Google mais de perto.

Cemepe Informa: Recebeu algum subsídio para participar do evento?

Cleber: Não. Decidi que iria por conta própria. Foi um investimento pessoal. Contudo já estou estou aplicando e multiplicando o conhecimento adquirido aqui, no meu trabalho.

Cemepe Informa: O evento atendeu as suas expectativas?

Cleber: Sim, claro. O evento foi muito organizado, planejado em relação a tempo, estrutura, em todos os aspectos.

Cemepe Informa: O que pode perceber da estrutura organizacional e cultural  adotado pela Google ?

Cleber: Foi possível perceber que eles tem uma cultura diferenciada em relação ao trabalho. Em todos os locais da empresa havia comida à vontade, local para lazer e descanso e  academia. Enfim, uma estrutura gigantesca para que o funcionário sinta-se bem em seu local de trabalho.

Cemepe Informa:  Como você analisa o crescimento desta empresa? Na sua opinião, há alguma área em que a empresa ainda tem muito a oferecer?

Cleber: O crescimento foi e continua sendo meteórico. A empresa surgiu como uma empresa de mestrado de dois alunos, que se propuseram a organizar a rede, criando um sistema de filtrar as informações. Eles foram crescendo, oferecendo novos produtos e serviços. A Google criou uma necessidade. Eles fizeram que as pessoas se conscientizassem que precisavam de infomação na nuvem e não na máquina. Foi, então, que eles “explodiram”.

Cemepe Informa:  Em termos de aprendizado e experiência qual o ganho você poderia destacar?

Cleber: Foi muito prazeroso ter contato com professores com várias regiões do país que, também, desenvolvem um trabalho voltado para as tecnologias na educação. Pessoas com experiências diversas e que também utilizam as ferramentas da Google para a educação.

Foto de Augusto Portugal