EDITORIAL

Estamos publicando o quarto número do Boletim Cemepe Informa. Apesar das dificuldades enfrentadas pelo NTE no segundo semestre a publicação, o informativo saiu. A versão eletrônica desta edição foi sendo disponibilizada aos poucos no site do Cemepe. A versão em PDF do boletim levou mais tempo, pois requer um trabalho mais técnico de diagramação. O nosso núcleo, responsável pelo projeto, enfrentou dificuldades, principalmente no que diz respeito à saída do coordenador, Cleber Ferreira de Oliveira, para assumir outras funções na Secretaria Municipal de Educação e também pelo fato do professor André Luís Batista Martins ter assumido essa função estratégica trabalhando apenas no turno da tarde, pois a SME não conseguiu contratar um professor para substituí-lo no seu cargo no turno da manhã na EM Prof. Leôncio do Carmo Chaves. Como nas edições anteriores, outro problema enfrentado, e ainda não resolvido, tem sido a demora para que matérias importantes cheguem para serem editadas (texto e imagens). Sendo que algumas acabam nem chegando. Nesta edição, eventos importantes e listados como destaque, infelizmente, ficaram de fora.

 

Na edição do boletim, mantemos as 12 páginas na versão em PDF, mas sentimos que a edição está crescendo em quantidade e qualidade dos conteúdos. A edição traz 06 cadernos: Cultural, Especial, Exposições, Geral, Na Escola e Opinião. Não publicamos o caderno de Entrevista por falta de fôlego, mas trazemos 02 cadernos novos: Exposições, focando 03 mostras das várias atividades desse porte que tiveram lugar no pátio do Cemepe. O caderno Especial, destaca o trabalho do professor Gilberto Drumond que responde pelo Audiovisual do Cemepe. O caderno Geral traz 05 matérias de eventos e atividades significativas que movimentaram o nosso centro, como o II Encontro Regional de Educação, marcado pela tragédia do assassinato da professora Veridiana, no dia que antecedeu a abertura do evento. Os Seminários Integrados de EJA, as atividades do NERER, as ações do NTE e O II Fórum de Grêmios que mobilizou alunos da Rede foram os destaques desse caderno. O caderno Na Escola traz duas matérias: a discussão sobre a violência de gênero levada para as escolas do Polo Leste e o apoio do NTE para o EMEI Sta. Mônica com formações in loco.

 

No caderno Cultura, o boletim dá destaque para o empenho do NLing em dois projetos voltados para a formação de leitores. Primeiramente, o projeto Flores e aromas: inspirações poéticas a partir da inspiração na leitura do livro Flor de Lu de Lucilaine de Fátima. Em segundo, o projeto do I Concurso Cultural Grande Otelo que homenageou um grande artista da cidade.

Os três artigos assinados desta edição podem ser, facilmente, articulados com o cerne das temáticas abordadas pelas matérias e com o contexto de crise política que vivenciamos. Mauro Sérgio Santos, nosso filósofo e articulista do NInf, problematiza em “Crise Política” a questão da necessidade de refletirmos sobre certas bandeiras levantadas impulsivamente, sem levarmos em conta fatos históricos. Em outro artigo, ele traça um mosaico da atualidade em “Tempo Presente” fundamentado nos pensamentos da Escola de Frankfurt, as ideias de Foucault, Bauman e Debord. São dois artigos contundentes que merecem nossa leitura. Não menos importante é a discussão sobre a “Superação do Ciclo de Violência contra a Mulher” de Ana Lúcia Martins Kamimura, coordenadora do NEDH. Em seu artigo, ela considera que a violência uma manifestação desumana, não episódica, recorrente e, socialmente, tolerada e escondida por muitas vítimas em nome da sacralidade da instituição familiar.